Marcia Simões

domingo, 26 de setembro de 2010

L'AMOUR


Você sabe definir o amor? Amor para mim é um querer bem sem fim, é doação, é ausência de egoísmo, é o sentimento que desperta aquilo que há de melhor em nós. E eu não falo só do amor dos casais, mas do amor em seu sentido mais amplo; aquele que a gente sente pelos pais, filhos, irmãos, sobrinhos, amigos e até por pessoas que não são nada da gente, mas que tocam o nosso coração.
Quando a gente ama, o sacrifício tem uma conotação diferente. Não é um grande fardo porque o que importa é o bem estar daquele que amamos. O amor de mãe é o maior exemplo disso. É uma doação contínua, sem pedir nada em troca.

A vida às vezes é tão difícil, a rotina tão massacrante que acaba dificultando as manifestações de amor e carinho entre as pessoas que se gostam. Há pessoas que não acreditam nele, há as que têm dificuldade em se doar a alguém, em mostrar carinho. Mas uma coisa é certa: todo mundo gosta de se sentir amado, mesmo aqueles que não deixam transparecer suas carências afetivas.

Pessoas que trabalham com pacientes terminais testemunham com muita frequência a importância das relações afetivas nos momentos que antecedem a partida. Quantos casos ouvimos falar de pessoas à beira da morte que só dão o último suspiro de vida depois que aquele familiar que mora muito longe chega para se despedir?

Nessa semana, assistindo mais uma vez à reprise do filme Impacto Profundo vi isso ser bem retratado. Em situações de perda iminente, tudo perde o valor, exceto as pessoas. E isso não é coisa de filme, não. Quem já teve algum ente querido muito doente ou se despediu de alguém que foi para uma viagem distante, sabe do que estou falando.

Amor não significa ausência de conflitos. Somos todos humanos e a ambivalência faz parte da vida e das relações. Mas é ele, esse sentimento poderoso, que nos ajuda a superar as dificuldades nas relações afetivas, a sobreviver aos sofrimentos que a vida nos impõe, a sentir que não estamos sós - ainda que saibamos que nascemos e morreremos sozinhos -, a perdoar e a enxergar além das aparências.

Nada na vida se compara à experiência de amar e ser amado, de ser aceito da maneira que se é, com todas as qualidades e defeitos. Se você, assim como eu, experimenta isso, agradeça e valorize. Isso é um privilégio do qual, infelizmente, nem todas as pessoas desfrutam.
Um beijo a todas as pessoas queridas que me dão a alegria de vivenciar esse amor!!
Imagem: Beauty in everything

creditos cedidos ao blog Depois dos Trinta.
http://depoisdostrintaanos.blogspot.com/2010/09/lamour.html
http://depoisdostrintaanos.blogspot.com/2010/09/lamour.html
Postar um comentário